Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.
Domingo, 29 de Abril de 2012
Há dias de sorte....

 

Ainda, há dias assim, dias de sorte, acho que ontem foi um dia desses...  

Sem grande esforço, consegui estas fotografias deste belo animal, suponho uma coruja ou um mocho... Em plena hora de almoço, à luz do dia, algo estranho, atendendo ser um animal da noite. Dotado de uma ótima visão, detetou-me a uns bons metros e nada de muitas aproximações, pois não tolera muitos bem os humanos.

Só foi pena não ter uma grande objetiva na máquina...

 

 


publicado por maria mendonça às 14:00
link do post | comentar | favorito

9 comentários:
De Jorge Soares a 29 de Abril de 2012 às 22:44
Bonito o bichinho... há uns tempos vi um parecido aqui perto.. mas as minhas fotografias não ficaram nem parecidas com estas.

Boa semana
Jorge


De maria mendonça a 30 de Abril de 2012 às 17:30
Olá Jorge
Foi mesmo muita sorte!
Provavelmente, não o voltarei a ver tão cedo. É um animal muito bonito, com aqueles olhos amarelos... Dizem que é um mau presságio, encontrá-los, espero que não passe de um mito.
boa semana


De Joaquim a 2 de Maio de 2012 às 09:46
Olá Maria Costa
Parabéns pelas fotos. Já merecia um bónus assim.
Acho que se trata de um Mocho-galego (Athene-
-noctua). Encontrei-o descrito na pág. 134 do Guia Aves de Portugal, da editora Lynx . Apesar de ser uma ave de hábitos nocturnos, a descrição diz que é observado com frequência durante o dia. Se gosta destas aves, poderá colocar uma caixa-ninho na quinta. Quem sabe, talvez um dia, um casal se instale na quinta.
Fique bem.


De Cenourita a 3 de Maio de 2012 às 22:46
Que belas fotos!
Se é bom ou mau presságio, não sei, mas eu adoro ver mochos e corujas. Acho-os lindos!

Beijocas***


De Mar a 27 de Agosto de 2012 às 20:53
Olá, é de facto um mocho-galego, é o mais pequeno dos nossos mochos e pela imagem parece ser pouco maior do que uma pinha portanto sim, o comentário anterior é correto :)
Aproveito para perguntar sobre o combate aos pulgões das roseiras. Estou com o mesmo problema, mas pulverizei com sabao diluido em agua e nao resultou... sabe me dizer de quanto em quanto tempo posso pulverizar, e quanto tempo tenho de esperar depois de pulverizar até poder consumir (neste caso é um tomateiro). Obrigada :)


De maria mendonça a 28 de Agosto de 2012 às 23:48
Boa noite
Obrigada pelo seu comentário.
Relativamente à questão do pulgão, aparecem muitas vezes nas roseiras, opto sempre por soluções caseiras. A do sabão é muito conhecida, aplicada em intervalos de 15 dias e nunca sob sol forte. Às vezes, acrescento umas gotas de óleo .
Para os tomateiros, existe outra, utilizam-se as folhas dos tomateiros, fervem-se em água e pulveriza-se com essa água. Pode experimentar. Relativamente a consumir os frutos, basta lavá-los muitos bem, é a vantagem de se utilizar soluções caseiras, a bem da biodiversidade.
Um grande abraço


De mar a 29 de Agosto de 2012 às 14:01
Obrigada :) essa das folhas do tomateiro não sabia. Quanto ao sabão não está a resultar... ainda hoje lá vi um a passear :(
A pergunta relativa à questão do consumo é que vi num outro site a recomendação de deixar passar 3 semanas após a aplicação do sabão, antes de consumir (mas eram couves)
Beijinhos e obrigada


De Joaquim a 1 de Abril de 2014 às 10:21
Olá Maria
Como diz o ditado, «mais vale tarde, que nunca», ou «a verdade é como o azeite, vem sempre ao de cima». Passam longos meses, mas neste dia associado à mentira, parece-me apropriado repor uma verdade. E a verdade é que o Mocho-galego, não é o mais pequeno que ocorre em Portugal. Esse título, pertence ao Mocho-de-orelhas, que com os seus 20 cm, é a mais pequena das rapinas nocturnas. É pouco comum e não existem dados que permitam aferir o seu estado de conservação. Assim, é de saudar projectos que incluem a protecção desta pequena ave. Hoje são vários, mas fico-me pelo Altano, cujo símbolo é o Mocho-de-orelhas. Foi uma escolha acertada da família Symington e nas suas quintas, nos últimos anos é visível um repovoamento desta ave, bem como um aumento da fauna e flora silvestre. Não sei da sua veia enófila, mas sei das aves e imagino que fará novas amizades a sul. Uma boa maneira de as cimentar é à volta da mesa. Boa comida, boas sobremesas e fica a sugestão de um bom néctar, que pode ser o mote de longas conversas à volta do vinho, das aves, do Douro, das amizades e como estar com os amigos pode significar ajudar a natureza.
Fique bem e as minhas desculpas pelo atraso :)


De maria mendonça a 1 de Abril de 2014 às 15:28
Olá Joaquim
A minha veia enófila, não é quase nenhuma, sou como a maioria dos portugueses, uma boa comida, acompanhada de boas conversas entre amigos, tem sempre de haver um bom vinho...
Quanto ao Sul, é temporário, brevemente estarei de regresso ao Norte.
Tenho tentado captar algumas aves mas tem sido díficil, talvez quando o tempo melhorar...
Sei que há umas belas cegonhas, mas tenho de encontrar os ninhos. Moro na Costa Vincentina, é uma regalo esta natureza em estado selvagem, um privilégio...
;)


Comentar post

posts recentes

O Regresso....

8 anos de Blog...

Hoje, Eclipse Lunar

Chegou o Verão...

Associação Casa da Crianç...

Crumble com Pêra...

Simplesmente, rosas....

Por que hoje é Domingo...

Ilha flutuante em chocola...

Tempura de Bacalhau com P...

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
Visitantes da Quinta
PageRank
All recipes are on Petitchef Top blogs de receitas


mais sobre mim