Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.
Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008
Reciclar, reciclar ... é inovar!

 

Devem estar a pensar, para que serve esta embalagem de iogurte líquido aqui, na Quinta da Ribeira?

 

 

 

Pois já serviu e  ainda vão servir as outras que vierem!  Para fazer as minhas etiquetas para identificação de plantas que há muito tempo queria fazer.

Numa altura em que só se fala de crise e em que se deve reciclar ao máximo, andei a pensar todo o Verão como poderia fazer umas etiquetas para as minhas roseiras de algum material que tivesse em casa. Queria que fossem resistentes à chuva e que fossem suficientemente discretas para não atrair a atenção da Cadela Pintas.

Até que no outro dia fez-se luz, farta de reciclar aquelas embalagens de iogurtes, achei que se as cortasse em tiras e escrevesse com um marcador resistente à água que poderiam servir perfeitamente.  E se depressa pensei mais rápido as fiz e cá estão as primeiras etiquetas para identificação de plantas.

Sei que deveriam ter o nome comum, depois o nome científico e depois a data da plantação, mas estas têm só o nome das roseiras e o ano de plantação.

Fica aqui a minha sugestão.

 

 

  



publicado por maria mendonça às 10:22
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De Micael a 22 de Outubro de 2008 às 13:05
Boa ideia! É sempre bom manter uma etiqueta, junto à planta, mesmo como está a proceder. Não tive esse cuidado no início e hoje tenho que aguardar que as flores surjam para etiquetá-las e classificá-las.

Pena que não exista uma tinta duradoura (resistente à água e ao Sol). Conhece alguma?

Bom trabalho e . . . o marido que a ajude.

Micael


De maria mendonça a 22 de Outubro de 2008 às 18:18
Agora que acabo de ler o seu comentário, é que comecei a pensar se a tinta que usei será resistente ao sol...
Eu usei uma caneta das que se usam para escrever nos cd´s , provavelmente não é!! Como vamos entrar no Inverno não haverá sol forte mas no Verão se calhar terei de arranjar outra solução.
Quanto ao marido, que remédio tem senão ajudar... normalmente fica com as tarefas mais duras . Num jardim, mesmo que não seja muito grande há sempre trabalho para todos.
Um abraço


De Cenourita a 22 de Outubro de 2008 às 21:50
Olá Maria
Que bela ideia! Também não sei se essa tinta desaparece com o tempo, mas lembro-me que há uns anos havia umas canetas, edding, que a tinta durava imenso ou nem sequer saía...
E agora outro assunto que já ando curiosa há uns dias... como ficou a fritada de leitãozinho com farinheira?

Beijocas***


De maria mendonça a 23 de Outubro de 2008 às 20:00
Fritada de leitão ficou uma maravilha. No dia seguinte não almocei em casa e quando cheguei fui à procura de um restinho na panela... mas o meu marido limpou literalmente o tacho. Soube a pouco, vou ter que fazer mais qualquer dia. E um dia destes faço um post com a fonte da receita, claro.
beijos


Comentar post

posts recentes

O Regresso....

8 anos de Blog...

Hoje, Eclipse Lunar

Chegou o Verão...

Associação Casa da Crianç...

Crumble com Pêra...

Simplesmente, rosas....

Por que hoje é Domingo...

Ilha flutuante em chocola...

Tempura de Bacalhau com P...

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
Visitantes da Quinta
PageRank
All recipes are on Petitchef Top blogs de receitas


mais sobre mim