Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.
Sexta-feira, 22 de Julho de 2011
Uma Morte Lenta...

Morremos tão lentamente....

 

... quando não temos amigos porque somos egoistas;

... quando não lemos livros porque julgamos tudo saber;

... quando não vemos um pôr do sol porque trabalhamos muito;

... quando não olhamos nos olhos porque somos cobardes.

 

É uma morte tão lenta e tão triste...

 



publicado por maria mendonça às 23:11
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Joaquim a 23 de Julho de 2011 às 09:30
Olá
Então amiga, a escrever acerca da morte nesta altura!
Oxalá as suas férias cheguem depressa.
Está mesmo a precisar:)
Beijinhos


De maria mendonça a 23 de Julho de 2011 às 14:28
Olá Joaquim
Realmente este poema não combina com o tempo exterior mas com o meu tempo interior... Há muito que me apetecia, publicar alguns escritos que tenho guardados na gaveta e ontem foi um desses dias.
Este poema não é sobre mim, quem me conhece sabe que tenho amigos de infância e "conhecidos", vivo rodeada de livros, paro só para ver um por do sol e olho nos olhos quando falo com as pessoas e detesto cobardias comigo ou com os meus.
É dedicado a alguém, obviamente... mas que o tempo já tratou de apagar ;)
Um beijo grande e votos de um bom fim de semana.


Comentar post

posts recentes

O Regresso....

8 anos de Blog...

Hoje, Eclipse Lunar

Chegou o Verão...

Associação Casa da Crianç...

Crumble com Pêra...

Simplesmente, rosas....

Por que hoje é Domingo...

Ilha flutuante em chocola...

Tempura de Bacalhau com P...

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim