Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.
Segunda-feira, 17 de Junho de 2013
Um dia triste, dia de greve...

É com uma enorme tristeza que vejo que chegamos ao fim da linha, a última batalha, uma greve de professores num dia de exames nacionais...

Analisando os acontecimentos dos últimos dias, percebo que esta greve, já não é simplesmente, um greve de professores, transformou-se em algo maior... é uma luta por um futuro de um país, que reside na esperança que depositamos nestes alunos, nos alunos que formamos, todos os dias em sala de aula...
Ouço, o Ministro Nuno Crato mencionar que fazemos dos alunos reféns, que os prejudicamos com greve neste dia.

Mas gostava de o questionar e onde esteve a preocupação dele quando aumentou o número de alunos por turma? E deixou milhares de professores no desemprego, necessários em sala de aula?

Quando encerrou escolas, obrigando os alunos a fazer quilómetros para se deslocarem, afastados das suas famílias?

Quando alterou a carga horária das disciplinas e manteve os programas?

Quando reduziu os apoios pedagógicos aos alunos com dificuldades de aprendizagens e do ensino especial?

Quando reduziu o número de psicólogos na escola?

Quando criou mega-agrupamento, que de escola pouco têm?

Quando cortou na acção social e nos passes, quando as famílias estão no desemprego?

Quando reduziu o número de funcionários por 100 alunos?

Quando terminou com o programa de apoio a matemática PAM e de Leitura Ler+?

 

Posto isto, quem fez dos alunos reféns? Nós, os Professores ou o Ministério? Com a justificação da reforma e da crise, utiliza todos as formas para reduzir despesas, sem olhar a meios. Onde estavam os defensores dos alunos, a quando da aprovação destas medidas?

Na verdade, a educação é uma área muito sensível, é nela que está centrada a democracia e a possibilidade do desenvolvimento. Uma nação com um nível de literacia baixo, é extremamente permeáveis ao processo de manipulação pelo poder politico, influenciam as pessoas como devem pensar... Sem educação de qualidade, nunca seremos uma nação, sem educação só a tirania e a corrução vencerá, ninguém quer esse futuro para Portugal. A educação é a arma mais poderosa que se pode usar para mudar o mundo, disse Nelson Mandela.

A greve é por tudo isto, em defesa da escola pública, dos alunos, do futuro do país, dignidade da profissão e uma qualidade do ensino público.

Lutaremos juntos amanhã!

.



publicado por maria mendonça às 10:15
link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De aespumadosdias a 17 de Junho de 2013 às 17:02
Nem com greve às avaliações, nem aos exames, há mudanças nas políticas educativas.


De maria mendonça a 17 de Junho de 2013 às 18:06
Estas medidas servem só para tentar acordar toda as pessoas, que a situação do país não pode continuar...
O ensino nestes últimos anos parece um tubo de ensaio, cada Ministro novo que entra têm ideias novas, altera tudo e às vezes, a estadia no Ministério é tão curta que nem serve para retirarmos nenhuma conclusão. A maioria, não é professor do pré, nem 1º, 2º 3º ou secundário, são do ensino superior ou sociólogos . não conhecem as escolas "por dentro"... enfim
Conheço tantos bons professores, colegas, que dariam bons ministros...


Comentar post

posts recentes

O Regresso....

8 anos de Blog...

Hoje, Eclipse Lunar

Chegou o Verão...

Associação Casa da Crianç...

Crumble com Pêra...

Simplesmente, rosas....

Por que hoje é Domingo...

Ilha flutuante em chocola...

Tempura de Bacalhau com P...

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim