3 comentários:
De Micael a 20 de Novembro de 2008 às 13:25
Calma, amiga! O POVO É SERENO! (já dizia Pinheiro de Azevedo no Terreiro do Paço).

. . . e as alegrias da vida no campo?

Um grande abraço.

Micael


De maria mendonça a 20 de Novembro de 2008 às 16:31
As alegrias do campo, parecem-me cada vez mais distantes... Contudo Sábado vou buscar a minha encomenda de roseiras, isso significa um fim de semana cheio de energia. Assim, desanuvio um pouco.
Quanto ao resto, eu sou uma pessoa calma, muito paciente, mas gosto de dar aulas calmamente e não num clima um pouco estranho. Esta "revolução" não é contra ela pessoalmente, até porque já assumi anteriormente que nem ela merece o que está a passar, mas é uma luta contra as reformas educativas que se foram fazem sucessivamente sem avaliar se as anteriores. Cada equipa que entra para o governo, independentemente da sua cor, acha que traz a fórmula milagrosa para a educação, e por isso de quatro em quatro anos fazem-se experiências.
E o que me tira do sério são as mentiras...
Mas acredito que hoje, haverá mudanças. A Ministra encontra-se a esta hora na Assembleia e possivelmente era propor alterações. Espero que sejam de bom senso e não fruto de teimosia.
E aproveito o momento para perguntar, Micael, agora que está reformado como vê tudo isto?
beijos


De Micael a 21 de Novembro de 2008 às 17:18
Também, eu e a minha cara metade, vamos buscar as roseiras encomendadas. Sábado por volta das 11:30h contamos estar em Cristelo e . . . pode ser que nos encontremos.

Quanto à avaliação imposta aos professores pelo ME: É incompatível com a realidade escolar. Cheia de boas intenções (?) mas impraticável.
Aliás, já se passa o mesmo, com a avaliação imposta aos funcionários (pessoal administrativo e auxiliar). É uma desilusão e frustrante.

Não pretendia ir já para a reforma, mas a confusão que se previa (para este ano lectivo) com este modelo de avaliação; Ao saber que só chegaria ao último escalão (10º antigo) em 2010, quando já deveria estar há dois anos nessa situação; Como não ia beneficiar em nada (€) se continuasse a dar aulas . . . resolvi meter a papelada em Maio passsado.

Reconheço que é necessário uma avaliação. O anterior também era uma fantochada. Estive vários anos na Comissão Especializada de Avaliação, a avaliar não sei o quê. Tinhamos que verificar apenas se o professor a avaliar tinha os 4 ou 5 créditos obtidos nas célebres acções de formação. . . Não podiamos interferir nos relatórios (por vezes de uma folha) apresentados. Tinhamos que saber contar muito bem até cinco. . . por isso a designação de comissão especializada?!!!!!!

Esta avaliação é um imbróglio que vocês têm de contornar mas que é difícil de aceitar. Então estes últimos desacertos . . . Cada vez pior!
. . . . . . .
Vamos tratar das camélias e das roseiras.

Um abraço e calma que amanhã é sábado e depois domingo. . .

Micael


Comentar post