Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Quinta-feira, 5 de Dezembro de 2013
Batata Doce Frita

Continuando à volta da batata doce, apresento hoje a Batata Doce Frita.

A batata doce de Aljezur é única em Portugal, distingue-se das outras variadas muito facilmente, para isso basta passar a unha na casca e o corte deve ficar roxo. O clima desta região do Algarve, juntamente, com a solo, o sol e a água, fazem destas batatas um produto com qualidade elevada e reconhecida. 

Afinal, temos de defender e divulgar os nossos produtos nacionais!

 


meio quilo de batata doce, com a pele intacta
óleo q.b.
sal q.b. 

Comece por lavar bem as batatas, pois elas serão cozinhas com a pele. Seguidamente, corte-as às rodelas ou  em palitos. Volte a lavá-las muito bem, seque-as com um pano.  Frite-as em óleo bem quente, depois de fritas salpique com sal fino. 
É um bom acompanhamento para carnes. 


Conselho: Se possível frite-as em azeite, ficam bem melhor. E afinal, o azeite é também um excelente produto nacional. 



publicado por maria mendonça às 11:15
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 30 de Outubro de 2013
Batatas Camponesas com Tomilho

Quem me conhece, sabe que eu não sou nada fã de batatas, muito menos de batatas cozidas. No entanto, este ano, na época das batatas, tive muitas batatas novas e experimentei algo de diferente. Achei-as excelentes e de uma simplicidade tão grande, que já voltei a repetir, as batatas ficaram mesmo saborosas. No entanto, há que ter em atenção um pormenor importante, têm de ser batatas novas com a pele fininha e de tamanho médio.

Estas batatas servem como acompanhamento de um assado na perfeição, neste caso, uma carne de borrego.

 

 

 

Batatas novas com casca

Água

Azeite

2 dentes de alho

Sal, pimenta, pimentão doce e tomilho q.b.

 

Comece por lavar muito bem as batatas com a casca, uma vez que vão ser confeccionadas e servidas com a casca. Pode cozer as batatas inteiras, mas demora muito mais tempo, se quer economizar alguma energia, corte-as ao meio. Leve-as a cozer em água abundante temperada com sal. O tempo de cozedura depende das batatas, não podem cozer de mais, devem estar durinhas.

Escorra-as e corte-as em quartos no sentido longitudinal, tentando manter a pele intacta. Numa frigideira, leve ao lume bastante azeite, o suficiente para cobrir o fundo e pique os alhos. Tenha cuidado para os alhos não queimarem. Logo, que o azeite esteja bem quente, acrescente as batatas e os temperos. Deixe saltear bem as batatas, virando-as e mexendo de vez em quando, no final, polvilhe com o tomilho.
Podem ser servidas de imediato, ou acrescentadas num tabuleiro de forno juntamente com uma carne assada. Se forem ao forno, ficam um pouco mais secas, mas igualmente saborosas. 



publicado por maria mendonça às 11:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 10 de Setembro de 2013
Migas de batatas com grelos e alheira

Por vezes, é necessário reinventar as receitas e tornar a cozinha numa arte criativa, dar largas à imaginação e deixar os livros de lado.  Havia sobras de batatas cozidas, grelos congelados, uma última alheira e pouco tempo para cozinhar... Pensei algo rápido e simples!

E sairam umas migas de batatas com grelos e alheira. 

 1 alheira 

alguns grelos cozidos

sobras de batatas cozidas

1 dente de alho

1 colher de sopa de banha

azeite q.b.

pimentão e sal q.b.

 

Uma breve nota, apesar de chamar migas a esta receita, eu não utilizei o pão. 

Numa frigideira coloque o azeite, a banha e o deite de alho partido ao meio, deixe aquecer, sem queimar o alho.  Acrescente depois a alheira, sem a pele e desfeita com um garfo. A alheira vai largar alguma gordura, mas esta é necessária para envolver os outros ingredientes. Depois da alheira estar frita, acrescente as batatas esmagadas com um garfo e os grelos picados grosseiramente. Envolva tudo muitos bem e tempere, com sal e pimentão, a gosto. Deixar cozinhar até as migas se desprenderem da frigideira. Habitualmente, as migas enrolam-se como uma omeleta, mas estas empratei, utilizando um aro redondo.



publicado por maria mendonça às 11:15
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2013
Gnocchi com molho tomate
Para mim cozinhar é um enorme prazer e nunca me canso. Há receitas mais simples, outras mais elaboradas, nem sempre saem bem... E às vezes, basta estar mais chateada, para que o jantar seja uma desgraça...

Também acontece, por vezes, recorrer a ingredientes já preparados... por exemplo, estes Gnocchi. 

A cozinha italiana é uma das mais ricas, e vai muito para além das famosas pastas e pizzas, como por exemplo os gnocchi. Os gnocchi são um prato italiano, que ando com alguma vontade de preparar mas demora algum tempo a confeccionar. Na realidade, são umas bolinhas feitas de puré de batata ou de espinafres com gema de ovo, para ligar, com queijo e farinha. Os verdes de espinafres são muito mais requintados. Só de pensar em cozer as batatas, fazer o puré, juntar os ingredientes e fazer bolinhas, tenho desistido...

Preguiçosamente, encontrei estes Gnocchi de batata já prontos {#emotions_dlg.sarcastic} numa grande superficie comercial...

Foi o ideal, bastou cozê-los em agua a ferver com sal, dois a três minutos, o ideal até flutuarem e depois utilizei um molho base bolonhesa Q.B. da Guloso e queijo emental em cima.

Ficou delicioso e sem trabalho quase nenhum...

Fica a minha sugestão, para os dias que não queremos estar na cozinha.




publicado por maria mendonça às 11:00
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011
Batata Dauphinois

Muitas formas de confeccionar este tubérculo, assadas, cozinhas, estufadas... Deixo uma sugestão, um pouco diferente mas muito boa.

 

Um bocadinho de  história para iniciar.

Este tubérculo foi cultivado inicialmente nas regiões do Peru e Bolívia, trazida depois para o velho continente pelos conquistadores espanhois por volta do século XVI.

No entanto, tardou a fazer parte da alimentação, pois o facto de crescer debaixo da terra levantava a suspeita que poderia ser maléfico, ligada à magia negra ou mesmo venenosa. Pedro, O Grande, chamava-lhe a "maçã do diabo". O seu sabor não era exactamente como o conhecemos nos dias de hoje, pois eram muito mais  amargas e por isso era consumidas essencialmente pelos marinheiros e seus familiares.  

A verdade, é que se foi difundido pela Europa ao longo dos séculos seguintes e ajudou a combater muitas fomes.

Nos dias em hoje, não há casa portuguesa que não consuma quilos e quilos de batatas...

 

 Batata Dauphinois

 

 

 

 

 

1kg de batata nova

5 dl de leite

1 dente de alho

1,5 dl de natas

100g de queijo gruyere ralado

sal, pimenta e noz moscada q.b.

 

Descasque as batatas e corte-as em rodelas. Leve ao lume o leite com o dente de alho e os temperos. Acrescente as batatas em rodelas e aguarde que levante fervura. Retire as batatas e transfira-as para um pírex, colocando-as em camadas.

Coe o leite, incorpore-lhe as natas e regue as batatas com este preparado. Polvilhe com o queijo e leve ao forno a 200ºC, cercade 40 minutos. Sirva quente.

 

 

 



publicado por maria mendonça às 08:00
link do post | comentar | favorito

posts recentes

Batata Doce Frita

Batatas Camponesas com To...

Migas de batatas com grel...

Gnocchi com molho tomate

Batata Dauphinois

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim