Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013
Dia Mundial da Alimentação

As Nações Unidas alertaram, para o desperdício alimentar, uma das principais razões para que 842 milhões de pessoas continuem privadas de quantidades suficientes de alimentos. No mesmo comunicado, a ONU destacou a importância de uma dieta equilibrada para combater o aumento da obesidade e garantir a saúde das populações.

Mas hoje, não irei escrever sobre a alimentação saudável e equilibrada, nem sobre uma agricultura sustentável porque há cada vez mais fome em Portugal, devido às politicas de contenção que este Governo tem tomado.

Há fome nas escolas, nos hospitais, em casa e na rua... Por isso, aproveito este meu espaço para divulgar dois projectos: um no Porto, CASA e outro em Lisboa, a Re-food.

No Porto, a  CASA, é uma associação que utiliza voluntários para cozinhar e proceder à respectiva distribuição de refeições quentes e embaladas, todas os noites em vários locais da cidade, também distribui cobertores, sacos de cama, produtos de higiene e roupa, tudo o que é necessário para tornar a vida dos sem abrigo mais humana. Todos estes bens são provenientes de donativos ou parcerias.

 

Em Lisboa, a Re-Food é um projecto de solidariedade social que pretende eliminar a fome e o desperdício alimentar. O objectivo é recolher as sobras alimentares dos restaurantes e padarias para dar a quem mais necessita.

Ajudem, ou com donativos, por mais modesta ou generosa que seja a vossa contribuição os desfavorecidos ficam-lhe eternamente gratos, ou sendo voluntários, ser voluntário nestas circunstâncias é fazer a diferença na vida de alguém...



publicado por maria mendonça às 19:55
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 13 de Outubro de 2008
Isto é que vai uma crise...

Depois de uma semana negra nas bolsas e nos mercados financeiros,  do Banco Central Europeu ter descido 0,5% a taxa de referência, eis que assistimos no fim da semana à telenovela do ministro das Finanças Teixeira dos Santos. 

Primeiro anuncia que as nossas poupanças afinal estão a salvo e garante por depositante 50 mil euros, com esta medida começam as pessoas a pensar se afinal o nosso banco tem dinheiro para nos dar quando o quisermos levantar e muitos correm para determinados bancos levantar as suas poupanças...

Depois disto o Ministro anuncia que o governo garante operações de financiamento interbancárias no valor de 20 mil milhões a bancos sedeados em Portugal, pois a banca está a perder liquidez, e claro, que imensas pessoas correm ao banco a fazerem levantamentos precipitando o caos.

 

 Entretanto para tranquilizar os portugueses, Teixeira dos Santos diz  não ter “quaisquer sinais de qualquer ocorrência que possa por em perigo os interesses dos nossos depositantes no nosso sistema bancário”. Então se não tem, porque tanta medida de protecção aos depositantes e aos bancos? Ou será que tem?

 

Quando toca a vez de comentar o eventual empréstimo de 200 milhões de euros da Caixa Geral de Depósitos (CGD) ao Banco Português de Negócios (BPN) diz: "Não me compete a mim comentar operações realizadas entre bancos".  Claro que não lhe compete a ele comentar, mas compete-lhe no final de contas, pelo menos manter-nos informados sobre o que vai acontecendo no sistema bancário português e sobre as decisões tomadas pelo banco do Estado e que no final nos afectam a todos.

Que se garantam os depósitos dos clientes que têm as economias de uma vida depositadas num banco, qualquer um de nós entenderá. Agora que, neste tempo de dificuldades, tenhamos ainda de participar em operações financeiras (porque não se esqueçam que a CGD é no final de contas um banco estatal) para salvar bancos, que em toda a sua existência nunca se preocuparam em cumprir com as regras de estabilidade da banca, é demais.

Veja-se as notícias que nos últimos tempos vieram a lume sobre este banco em particular:

 

Centenas de milhões em falta no BPN para cumprir regras da banca. Situação de solvência do banco não está para já em causa. 21/06/2008

 

Banco de Portugal abre três processos contra o BPN. Em causa está o não reporte de 4,97 por cento do capital próprio detido por sociedades off-shore. 19/08/2008

 

O novo presidente do grupo Sociedade Lusa de Negócios/BPN, Miguel Cadilhe, anunciou hoje, durante uma conferência de imprensa, que no quadro do plano de reestruturação do grupo decidiu pôr à venda a colecção de mais de oitenta quadros do pintor espanhol Miró, avaliada em vários milhões de euros. 10/09/2008

 

BPN vende seguros por 80 milhões de euros para melhorar liquidez. 12/10/2008

 

Notícias do Público

 

E é a esta gente que vamos fazer o favor de garantir empréstimos? Gastem o dinheiro dos contribuintes a garantir os depósitos dos clientes, mas deixem que o mercado arrume com estas empresas e estes gestores. Faz mesmo sentido salvar empresas envolvidas numa "Operação Furacão" ?

 

 



publicado por maria mendonça às 10:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

posts recentes

Dia Mundial da Alimentaçã...

Isto é que vai uma crise....

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
All recipes are on Petitchef Top blogs de receitas


mais sobre mim