Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Sexta-feira, 8 de Novembro de 2013
Aos professores...

"Vocês são os verdadeiros heróis da sociedade. Sobrevivem num ambiente stressante, sem notoriedade social e com baixos salários.

Não são gigantes? 

Sobre os vossos ombros está o futuro da humanidade, e cobram e protestam tão pouco por isso.

Não são heróis?

Vocês mudam o mundo ao mudar o mundo de um aluno.

Obrigada por existirem. "

 

(Augusto Cury- O Semeador de Ideias)

 



publicado por maria mendonça às 10:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 5 de Outubro de 2013
Dia Mundial dos Professores

Neste dia especial e atendendo à situação que os professores atravessam, as minhas palavras só podem ser dirigidas aos meus colegas que, infelizmente, ainda não tiveram a sorte de ser colocados numa escola, este ano letivo.

Muita força, não desanimem e não desistam... 



publicado por maria mendonça às 12:15
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 18 de Junho de 2013
Lá fora...

Ainda continuando, o meu post anterior e desviando-me um pouco da linha habitual deste blog...

A luta dos professsores passou fronteiras...

 

Agência Reutes: "Portuguese teachers boycott exams in anti-austerity strike"

El País: "Uno de cada tres alumnos portugueses se queda sin Selectividad por la huelga"

L´1fo: "Pas de bac pour les profs"

My Europ: "Les enseignants portugais font la grève des examens"



publicado por maria mendonça às 12:49
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 17 de Junho de 2013
Um dia triste, dia de greve...

É com uma enorme tristeza que vejo que chegamos ao fim da linha, a última batalha, uma greve de professores num dia de exames nacionais...

Analisando os acontecimentos dos últimos dias, percebo que esta greve, já não é simplesmente, um greve de professores, transformou-se em algo maior... é uma luta por um futuro de um país, que reside na esperança que depositamos nestes alunos, nos alunos que formamos, todos os dias em sala de aula...
Ouço, o Ministro Nuno Crato mencionar que fazemos dos alunos reféns, que os prejudicamos com greve neste dia.

Mas gostava de o questionar e onde esteve a preocupação dele quando aumentou o número de alunos por turma? E deixou milhares de professores no desemprego, necessários em sala de aula?

Quando encerrou escolas, obrigando os alunos a fazer quilómetros para se deslocarem, afastados das suas famílias?

Quando alterou a carga horária das disciplinas e manteve os programas?

Quando reduziu os apoios pedagógicos aos alunos com dificuldades de aprendizagens e do ensino especial?

Quando reduziu o número de psicólogos na escola?

Quando criou mega-agrupamento, que de escola pouco têm?

Quando cortou na acção social e nos passes, quando as famílias estão no desemprego?

Quando reduziu o número de funcionários por 100 alunos?

Quando terminou com o programa de apoio a matemática PAM e de Leitura Ler+?

 

Posto isto, quem fez dos alunos reféns? Nós, os Professores ou o Ministério? Com a justificação da reforma e da crise, utiliza todos as formas para reduzir despesas, sem olhar a meios. Onde estavam os defensores dos alunos, a quando da aprovação destas medidas?

Na verdade, a educação é uma área muito sensível, é nela que está centrada a democracia e a possibilidade do desenvolvimento. Uma nação com um nível de literacia baixo, é extremamente permeáveis ao processo de manipulação pelo poder politico, influenciam as pessoas como devem pensar... Sem educação de qualidade, nunca seremos uma nação, sem educação só a tirania e a corrução vencerá, ninguém quer esse futuro para Portugal. A educação é a arma mais poderosa que se pode usar para mudar o mundo, disse Nelson Mandela.

A greve é por tudo isto, em defesa da escola pública, dos alunos, do futuro do país, dignidade da profissão e uma qualidade do ensino público.

Lutaremos juntos amanhã!

.



publicado por maria mendonça às 10:15
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Sexta-feira, 7 de Junho de 2013
Educação em greve...

 

O público em geral, pode até não entender, mas é pelos alunos e por uma escola pública de qualidade que fazemos esta greve. E ao contrário, do que diz Cavaco Silva não tratamos os alunos como reféns. A greve às avaliações e aos exames, é o fim da linha, a última medida... É um dia triste:( Felizmente, alguns Encarregados de Educação entendem-nos, os que conhecem a escola por dentro, os que entendem que a escola não pode ser um depósito de crianças... A escola actual, não é a escola onde sonhei ensinar e formar jovens... As recentes notícias são a prova de que algo vai mal e temos o dever e a obrigação de lutar por uma educação melhor.  Professores, alunos e pais, todos juntos por um bem maior!

Por uma Escola Pública de qualidade, iremos onde tivermos que ir. Por uma escola melhor do que esta, eu vou até onde for necessário. Os meus alunos merecem e o país precisa! 

Cada dia que passa mais tenho orgulho na minha profissão, somos Professores com P grande. Somos dignos e corajosos! Professores para toda a vida!



publicado por maria mendonça às 10:30
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

Terça-feira, 31 de Agosto de 2010
Último dia de férias...

Pois é, as férias passam depressa... E chegou o último dia, amanhã é dia de regresso à escola.  

Tempo de rever os colegas, alunos e funcionários e abraçar os novos. 

Limpo o meu arquivo e a minha pasta, recebo os meus registo novos, começo a preparar um ano novo.

É uma época muito boa, é como o inicio da  Primavera tudo recomeça outra vez.

 



publicado por maria mendonça às 13:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 21 de Julho de 2010
Porco no Espeto

Hoje é mais um ano de trabalho que se encerra, por isso é dia de festa. Aliás, esta semana está cheia de dias importantes!!

Olhando para trás um ano passa tão depressa, é como um piscar de olhos. Ainda me lembro do ar desconfiado com que os novos colegas entraram na escola, tentando ler as expressões dos outros. A escola será boa? Existe bom ambiente entre colegas? E como serão os alunos? São tantas interrogações quando chegamos a uma nova escola. Os mais tímidos ficam no parque de estacionamento, à espera de alguém conhecido, para quebrar ar da entrada. Pois é, o primeiro dia não é só nos alunos que causa um friozinho na barriga, nos professores também!! 

 

No meu caso, este ano foi mais um reencontro de amigos antigos, um verdadeiro privilégio. Todos os anos as escolas renovam-se, conhecemos muitas pessoas com experiências de vida diferentes da nossa  e ao longo do ano vamos criando laços, muitos ficarão amigos para toda a vida.

 

Por isso, espero que dia de hoje  seja mais um "Boas férias e até Setembro..." e não uma despedida.

Mário, prepara o porco porque a sobremesa já está pronta-Pavé.

 



publicado por maria mendonça às 11:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009
Manifesto: A escola não pode esperar mais

Manifesto já noticiado pelo Jornal Público.

 

FORÇA colegas, somos muitos e não desistimos nunca dos nosso sonhos, uma Escola Pública de Qualidade.

 

O actual modelo de avaliação de professores e a divisão arbitrária da carreira em duas categorias criaram o caos nas escolas. A burocracia, a desconfiança e o autoritarismo jogam contra a melhoria das aprendizagens e contra a dedicação total dos professores aos seus alunos. Quem perde é a escola pública de qualidade.

Este ambiente crispado e negativo promete agudizar-se nas próximas semanas. Com efeito, até ao dia 31 de Outubro, se até lá nada for feito, as escolas estão obrigadas por lei a fixar o calendário da avaliação docente para o ano lectivo que agora começou. Pior ainda, sucedem-se os Directores que teimam em recusar avaliar os docentes que não entregaram os objectivos individuais, aumentando a instabilidade e a revolta.

Independentemente das alternativas que importa construir de forma ponderada, é urgente que a Assembleia da República decida sem demoras parar já com as principais medidas que desestabilizaram a Educação, sob pena de arrastar o conflito em cada escola e nas ruas.

Porque a escola não pode esperar mais, os subscritores deste manifesto apelam à Assembleia da República que assuma como uma prioridade pública a suspensão imediata do actual modelo de avaliação de professores, a revogação de todas as penalizações para os que não entregaram os objectivos individuais e o fim da divisão da carreira docente. Sem perder mais tempo.

Não podemos esperar mais. A Educação também não.

 

Subscrevem:

Os blogues:

A Educação do Meu Umbigo (Paulo Guinote),

ProfAvaliação (Ramiro Marques),

Correntes (Paulo Prudêncio),

(Re)Flexões (Francisco Santos),

Outròólhar (Miguel Pinto),

O Estado da Educação (Mário Carneiro),

O Cartel, Octávio V Gonçalves (Octávio Gonçalves)

 

Os movimentos:

APEDE (Associação de Professores em Defesa do Ensino),

MUP (Movimento Mobilização e Unidade dos Professores),

Promova (Movimento de Valorização dos Professores),

MEP (Movimento Escola Pública)

 

 



publicado por maria mendonça às 01:31
link do post | comentar | favorito

Sábado, 17 de Outubro de 2009
Tantos e tão poucos...

 

 

 

Apesar de tudo, continuamos a dar o melhor de nós todos os dias e  nunca desistimos!

 



publicado por maria mendonça às 09:30
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 5 de Outubro de 2009
Dia do Professor - 5 de Outubro

SER PROFESSOR


"Ser professor é ser artista,
malabarista,
pintor, escultor, doutor,
musicólogo, psicólogo...
É ser mãe, pai, irmã e avó,
é ser ciência, paciência...
É ser informação,
é ser acção.
É ser bússola, é ser farol.
É ser luz, é ser sol.
 

 

Ser professor...
É um vício ou vocação?
É outra coisa...
É ter nas mãos o mundo de amanhã.
Amanhã, os alunos vão-se...
e ele, o mestre, de mãos vazias,
fica com o coração partido.
Recebe novas turmas,
novos olhinhos ávidos de cultura
e ele, o professor,
vai ensinando
com toda a ternura,
o saber, a orientação
nas cabecinhas novas que amanhã
luzirão no firmamento da Pátria.
Fica a saudade...
a Amizade."

(Autor desconhecido)



publicado por maria mendonça às 23:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008
Ontem, a Ministra na TV

Admito que os meus fieis leitores devem andar desiludidos, pois ultimamente neste blog onde antes se falava de jardim, plantas, ambiente e receitas, agora está mais virado para a educação e a política. Eu bem tento controlar-me para não escrever nada sobre esses temas, mas sendo professora extremamente atenta e critica de tudo o que me rodeia, tem sido dificil passar ao lado sem comentar nada. Até porque sendo professora, entendo facilmente cada vez que a Ministra fala a verdade e cada vez que fala mentira. Como diz o ditado "quem não se sente, não é filho de boa gente."

 

Vi a Ministra na conferência de impressa ontem à noite. Foi triste, vê-la naquela situação, zangada com os jornalistas, desgastada, mantendo o mesmo discurso tipo monólogo. Acho que até ela não merecia o que lhe anda a acontecer, mas foi ela que quis assim. Reconheço que a vida dela deve ter sido dura nestes últimos dias e o futuro não sei se será melhor. De todo o discurso reti a última parte: " a ministra quer garantir às escolas e aos portugueses, que a avaliação de desempenho dos professores este ano se fará."

Nunca imaginei que a sua única preocupação fosse essa. Ainda se fosse garantir uma escola e uma educação de qualidade aos alunos, mas garantir que a avaliação se faz, parece-me sem nexo quando a luta é por muito mais do que isso. Quer resumir este braço de ferro à avaliação. É um erro crasso. 

 

 



publicado por maria mendonça às 12:54
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008
Este Ministério já não tem emenda...

Os professores alertaram diversas vezes sobre o Estatuto do Aluno e a resposta desta Sr.ª Ministra foi sempre a mesma. Como ela parece ser a iluminada, nunca alterou nem uma vírgula. Porém, com apenas  alguns ovos  os alunos conseguiram levar a Ministra a recuar no artigo das faltas. Alterou o estatuto do aluno, num Domingo, e agora, independentemente do número de  faltas justificadas, os alunos não realizam a prova suplementar.  Diz ela que foi apenas um decreto que clarificou a situação, pois as escolas não souberam interpretar correctamente a Lei.

 

Pois é uma grande mentira. A Lei é clara e qualquer pessoa  que sabe ler a entende.

Aqui fica um link que contem os excertos dos artigos em causa retirados do Estatuto, para quem tiver tempo e paciência. É triste ver uma equipa que lança Leis mal feitas, não ouve ninguém e que depois em vez de assumir os erros, sacode a água do capote para cima dos outros. Fica-lhes muito mal esta atitude. Se há coisa que os professores aprenderam a fazer,  apesar de não serem juristas, é  a ler Leis, Decretos e etc.

 

Depois esta pequena alteração tem por detrás outro pormenor, não menos importante e que convem alertar. A Lei foi alterada por um decreto ministerial. Para a maioria das pessoas isto pode não ser relevante, mas é. Uma Lei que é votada na Assembleia da República, não pode ser alterada por um simples decreto assinado por um qualquer ministro. Os juristas do ministério devem andar a dormir. 

 

No jornal da Sic, felizmente, já ouvi que  CDS e o PSD estão já a par desta embrulhada. Paulo de Carvalho do CDS-PP veio dizer que: "Não é possível alterar uma lei através de um despacho. Se o Governo quer assumir que se enganou no Estatuto do Aluno e quiser alterá-lo deve fazê-lo apresentando uma proposta na Assembleia da República",

"A ministra tem que reconhecer que a lei que fez há um ano foi um erro manifesto. E tem que corrigir esse erro através de uma alteração à lei e não por despacho interpretativo".

 



publicado por maria mendonça às 23:20
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008
Dias cinzentos...

Apesar de estarmos no Outono e de lá fora existirem folhas com cores maravilhosas, para mim parece que estamos no Inverno!!

Com a mudança da hora os dias parecem mais curtos, a temperatura desceu e os casacos compridos  já desceram do sótão, pois ontem de manhã, estavam 9ºC. Estivemos em alerta amarelo por causa das fortes rajadas de vento, muitas coisas tiveram que ser  retiradas do jardim para evitar estragos. Ontem à noite, não resisti e acendi a lareira, pareceu-me Inverno.  

Nem me apetece escrever, tal o Inverno que sinto!

Mas desenganem-se que não é a meteorologia que me faz sentir assim, mas o clima que se vive nas escolas.  Os pedidos de reforma aumentaram imenso, entendo perfeitamente quem se quer vir embora. Assim não podemos continuar a dar aulas e quem pode sair e abandonar a escola, está a fazê-lo. Como eu os entendo.

Depois de saber que  Conselho Executivo da Escola Básica 2, 3 de Santa Maria, em Beja, demitiu-se "saturado" com casos de violência, de saber que inúmeros  docentes  se organizam em abaixo-assinados e moções dirigidos aos Conselhos Pedagógicos,   escolas que suspendem o processo de  avaliação em busca de esclarecimentos, o que espera a Ministra para vir dar a cara? Para explicar a todos o que anda a correr mal, ou prefere continuar a dizer que o processo de avaliação avança sereno e que todas as escolas estão a trabalhar?

Em vez disso saiu a notícia que "Quase todas as escolas do básico tiveram média positiva nas provas nacionais", eu também sei como fazer para os meus alunos terem bons resultados na minha avaliação, mas eu prefiro que seja por mérito deles. Facilitismo nas avaliações, exames e afins, são uma forma de enganar os alunos, os pais e este modelo de  avaliação que o Ministério adoptou. Trabalhar para a estatística, para o número, para mostrar bons resultados parece ser o lema deste governo, enganando as pessoas com Magalhães e migalhas.

A data da manifestação aproxima-se e não me parece haver entendimento entre nós, os professores andam divididos, aparentemente, pois a luta é de todos. Apesar de ter anteriormente apelado a uma manifestação no dia 15, estarei na do dia 8, pois do Norte a Lisboa ainda são muitos quilómetros e só poderei estar numa. Temos de ser racionais, deixar o orgulho e caminhar todos lado a lado. Entendo e subscrevo o Apelo efectuado por Paulo Guinote, João Madeira e Constantino Piçarra, deve ser feita uma concentração de esforços na luta que é comum a todos, por um ensino de excelência, uma escola pública de qualidade e por uma profissão nobre, digna e  reconhecida.

 

Uma reflexão de uma professora cansada, desiludida e profundamente aborrecida com tudo.

 



publicado por maria mendonça às 10:18
link do post | comentar | favorito

posts recentes

Aos professores...

Dia Mundial dos Professor...

Lá fora...

Um dia triste, dia de gre...

Educação em greve...

Último dia de férias...

Porco no Espeto

Manifesto: A escola não p...

Tantos e tão poucos...

Dia do Professor - 5 de O...

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim