Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008
Também, vi o Primeiro na tv!

Em jeito de continuação do post de ontem, também vi o nosso Primeiro na televisão.  Andava ele a visitar a  feira Portugal Tecnológico em Lisboa, juntamente com  5 ministros e 5 secretários de estado.

Será  que essa gente não tinha mais nada para fazer de importante durante a tarde do que irem todos visitar uma feira? Não poderia ter ido um só em representação dos outros todos? E ainda por cima demoraram quatro horas!

Quer dizer que gastaram, basicamente uma tarde, do seu precioso trabalho para ir visitar a feira e discutir as novos gadgets.

Ouvi-o também dizer que no futuro ter ligação de banda larga será como acender a luz num interruptor e que brevemente existirá  banda larga em  todo o país com 100 Mega, que segundo ele, fará toda a diferença para as famílias e para as empresas. Então o INEM e os bombeiros mal chegam a todo o país mas a a diferença se as pessoas vivem mal e morrem a caminho do hospital, ou à espera de uma ambulância? Em que  país vive, Sr. Engenheiro? Certamente não é no mesmo que o meu. Não sabe distinguir o que é básico do que é secundário? 

Depois ainda vi o Magalhães. E lembrei-me da minha colecção de livros que lia em criança, "Anita na escola", "Anita no circo", "Anita de ferias". Mas neste caso é mais, "Magalhães na Cimeira Ibero-Americana", "Magalhães na apresentação do orçamento", "Magalhães nos carros da GNR", ...

Parece Deus, está em todo lado. Tudo o que é demais, enjoa.



publicado por maria mendonça às 23:18
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2008
Cimeira da Computerware

Ver o nosso Primeiro Ministro a distribuir  Magalhães na Cimeira Ibero-Americana é mesmo degradante.  Ele faz  propaganda ao produto, como se fosse um vendedor de informática, e oferece-os como brindes para experimentarem em casa, para ver se os convence a comprar o produto. Será que recebe comissão por cada um vendido?

Digam lá que não parece uma reunião da  tupperware, mas neste caso computerware.

 

Agora a sério, devia era ter vergonha porque os presidentes e representantes dos 22 países participantes  não estão lá para ver os produtos, mas debater estratégias para sair desta  crise financeira global. Na realidade o tema principal é a juventude mas  os discursos falam da crise mundial,  pois é o assunto que preocupa todos os  intervenientes. Melhor dizendo, todos não, excepto o nosso Primeiro pois a única preocupação foi levar os Magalhães. Talvez ele não sinta a crise mas nós todos sentimos.

 

Depois o discurso dele é caricato, disse  "só a educação permite o sucesso económico", não seria antes, só uma educação de qualidade permite o sucesso económico?  É que esta educação do facilitismo que não premeia o mérito,  não leva a sucesso nenhum, pelo contrário cria um bando de parasitas da sociedade que vive à custa de esquemas e que não quer trabalhar e não produz nenhuma riqueza para o país. 

De seguida afirmou: "o investimento em educação é aquele que pode oferecer um maior retorno, uma maior igualdade de oportunidades aos jovens e ser um trunfo importante de inclusão e participação na vida democrática".

É estranho que fale de investimento  na educação quando anda de costas voltadas aos professores e de ouvidos moucos. Por muito que lhe custe,  são eles quem mais sabe de educação e não uns pedagogos  cheios de ideias do Ministério mas que nunca colocaram um pé dentro de uma sala de aula.

Quanto à igualdade de oportunidades dos jovens, não vai conseguir com esta escola pública que anda a construir e isso comprova-se facilmente observando o topo do ranking das escolas, só escola privadas. Cada vez mais as públicas estão a descer, porque será? Se é este o investimento que vai trazer mais igualdade de oportunidades a todos os jovens, fique mas é quietinho. Cada vez mais nas escolas só estão os filhos de quem não tem dinheiro para pagar um colégio privado, isto tudo fruto da reforma  atabalhoada que anda a fazer.

A participação dos jovens na vida democrática cada vez mais será difícil, uma vez que parte destes alunos serão, como disse em cima, parasitas que viverão do RSI que o estado lhes proporciona todos os meses sem terem de fazer nada. Estes jovens, nunca assinarão moções, nem abaixo-assinados, nunca colocarão nada em causa, serão facilmente manipuláveis através da televisão e com publicidade camuflada nos jornais, nunca se irão opor às políticas dos governos e votarão num qualquer partido desde que este lhes ofereça gadgets e mais uns trocos de abono.

 

 

 



publicado por maria mendonça às 09:10
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008
É uma atrás de outra....

Deste governo já não espero nada de bom  e não vale a pena atirar-me areia para os olhos, então não é que andam a mandar as contas das ligações dos Magalhães à internet para as Autarquias.

Fazer pura propaganda, dar prendas aos meninos  e mandar parte da factura aos outros, não é nada de bom tom. Então Senhora Ministra, com que então  decide, oferece e os outros que assumam  as responsabilidades. Que falta de educação!

A Associação Nacional de Municípios Portugueses já reuniu ontem de emergência e aconselhou hoje as autarquias a não pagarem as facturas que estão a receber, via Público.

Força Autarquias, não baixem os braços! Senão ainda eu vou pagar a ligação de algum papá para se divertir...



publicado por maria mendonça às 22:57
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008
Ainda sobre o Magalhães...

Para começar o Magalhães não é uma inovação portuguesa, já existe um produto igual só lhe mudaram a capa. Não é feito em Portugal, é montado em Portugal , num empresa de Matosinhos, J P Sá Couto, isto é, todos os componentes são importados e em Portugal apenas se juntam os materiais.

A iniciativa é considerada por muita gente como uma boa ideia e que trará a longo prazo muitos frutos. Infelizmente, não partilho desse optimismo e não penso que este investimento traga o tal sucesso que, tanto o Primeiro como a Senhora Ministra, apregoam por aí.  Os alunos na faixa etária dos 6 a 10 anos, necessitam de trabalhar com objectos concretos, manipuláveis, para desenvolver competências básicas para poderem progredir ao longo da sua vida escolar sem sobressaltos. É por este motivo que é altamente  desaconselhável a utilização de máquinas calculadoras no 1ºCiclo, mas o Nosso Primeiro insiste em lhes dar computadores....

Num país que anda de cinto apertado com os aumentos dos combustiveis, as taxas de juro, onde os nossos idosos não são tratados com o respeito que deviam,  as reformas são uma miséria, onde faltam lares, maternidades e creches, ver o Primeiro Ministro juntamente com o resto da banda, todos sorridentes a distribuir estes computadores, deu-me a volta ao estômago.

O que anda ele  a fazer  com o dinheiro dos meus impostos?

Apostar na educação é sem dúvida a melhor aposta no nosso futuro, com a qual concordo plenamente, pois é neles, os alunos, que acenta o futuro da nossa nação.

Antes de começar por distribuir os Magalhães por aí, máquinas certamente de elevada qualidade mas de duvidosa utilidade para a melhoria do ensino, não teremos de olhar antes para as restantes condições de ensino? Comecemos pelo início, ainda faltam escolas, nas que existem muitas vezes não há salas suficientes, ou então chove lá dentro. Quanto aos equipamentos já sabemos que este governo é todo tecnológico, pelo que essa parte está assegurada. Quanto aos professores estão desmotivados, todos os anos têm de se preocupar com o facto de terem ou não emprego, com as avaliações e alterações legislativas, pelo que muitas vezes não se podem dedicar como deveriam à sua função principal, ensinar. Os alunos são cobaias de projectos educativos que no longo prazo só poderão comprometer o futuro do país, mas isso não interessa nada porque como são obrigados a ir à escola e têm a passagem de ano quase assegurada, nunca tantos frequentaram a escola e nunca houve tanto sucesso escolar, embora ninguém se preocupe com o facto de sairem da escola quase sem saber escrever.

Eu não sou engenheira, e já agora parece que o sr. Primeiro Ministro também não, mas acho que não se começa uma casa pelo telhado, embora a julgar pelos projectos assinados por ele e que apareceram na televisão, já comece a duvidar...

Este espectáculo da distribuição do Magalhães (começo a sentir-me mal por falar assim de algo com o nome de um português tão ilustre) já cheira à distribuição de frigorificos do Sr. Major.

 

 

 

 

 

 

 



publicado por maria mendonça às 10:37
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008
O Magalhães já chegou!!!

Em jeito de continuação sobre o estado actual da educação e farta de ouvir falar do Magalhães, da e-escola e dos computadores, etc.... debrucei-me hoje mais sobre o assunto. Eu ainda sou um ser pensante, e não me conseguiram fazer uma lavagem cerebral. Entrei no Portal da Educação e fui tentar descobrir qual o objectivo do ministério com este esbanjamento do nosso dinheiro e estas ofertas de Magalhães por todo o lado.

Encontrei logo na página de entrada e em destaque "Portátil Magalhães começa a ser distribuído aos alunos do 1.º ciclo".  "Concebido para crianças dos 6 aos 11 anos, o computador é gratuito para os alunos inscritos no primeiro escalão da Acção Social Escolar, tem o custo de 20 euros para os do segundo escalão, e de 50 euros para os restantes. " Mais à frente diz o seguinte :" Para melhor preparar os professores para explorarem as potencialidades do portátil, ..."

Então os portáteis são para levar para a escola?

Mas a Lei n.º 3/2008  aprovada por este governo, que indica quais os equipamentos que não podem entrar na escola, e na qual se enquadram os telemóveis, que já deram tanto que falar, no artigo 15º alinea q) diz: " Não transportar quaisquer materiais, equipamentos tecnológicos, instrumentos ou engenhos, passíveis de, objectivamente, perturbarem o normal funcionamento das actividades lectivas, ou poderem causar danos físicos ou morais aos alunos ou a terceiros".

Mas não é aqui que se enquadram estes equipamentos? Então, como é possivel terem como objectivo que os professores explorem as potencialidades dos portáteis, se estes não devem entrar na escola? Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, as escolas têm portáteis,  ao abrigo de um projecto chamado CRIE anterior a este. Os nossos alunos trabalham com eles sempre que é pertinente. Não entendo esta necessidade de andarem a distribuir material deste tipo a torto e a direito, como se assim todos ficassem mais inteligentes de um dia para o outro.

Eu nem consigo imaginar o dia  em que, em  vez de tirarem o caderno e o lápis para resolver as equações, as vão querer  resolver no computador.

Até já estou a imaginar, num futuro muito próximo, numa qualquer sala de aula portuguesa:

Tirar apontamentos, para quê? Stor, fale aqui para a câmara , eu depois em casa vejo o video...

Começo a entender a publicidade....

 

 

 

 

 



publicado por maria mendonça às 10:22
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito

posts recentes

Também, vi o Primeiro na ...

Cimeira da Computerware

É uma atrás de outra....

Ainda sobre o Magalhães.....

O Magalhães já chegou!!!

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim