Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Quinta-feira, 31 de Outubro de 2013
Bruschetta com Tomate e Presunto

Uma boa ideia para utilizar algum pão mais duro e os tomates que já estejam demasiado maduros para usar na salada. Para cozinhar é preciso imaginação, principalmente nos dias de hoje, com a crise que todos nós vivemos. É preciso, voltar ao tempo das nossas mães e fazer "render" os ingredientes para mais almoços e mais jantares. Nada se deita ao lixo, nem o pão mais duro, nem os tomates muito maduros... E assim, se reinventam as receitas.

As bruchetas podem ser servidas como uma entrada quente ou como um reforço de um jantar menos "composto".

Estas ficaram tempo a mais no forno e por isso, o queijo ficou um pouco mais seco, em cima. 

 

fatias de pão

presunto cortadas em pedaços
tomates maduros cortados em fatias 
queijo ralado q.b.
azeite q.b.
sal q.b.


Pincele as fatias de pão com azeite. Num recipiente refractario, coloque as fatias, em cima de cada, o presunto, o tomate e por fim um pouco de queijo ralado.

Serve qualquer queijo, desde que derreta. Tempere a gosto, eu não coloquei sal, por causa do presunto, mas podem ser usados outro temperos ao gosto de cada um.  E por fim, leve ao forno, pré-aquecido, cerca de 5 a 10 minutos, até o queijo derreter. Sirva de imediato.

 

Nota: Eu utilizei presunto, mas pode ser usado fiambre, chouriço pepperoni, enchidos, restos de carne e até atum. A base da receita é mesmo o pão, o tomate e o queijo... o resto fica é ao gosto pessoal  de cada um de nós.



publicado por maria mendonça às 11:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 10 de Setembro de 2013
Migas de batatas com grelos e alheira

Por vezes, é necessário reinventar as receitas e tornar a cozinha numa arte criativa, dar largas à imaginação e deixar os livros de lado.  Havia sobras de batatas cozidas, grelos congelados, uma última alheira e pouco tempo para cozinhar... Pensei algo rápido e simples!

E sairam umas migas de batatas com grelos e alheira. 

 1 alheira 

alguns grelos cozidos

sobras de batatas cozidas

1 dente de alho

1 colher de sopa de banha

azeite q.b.

pimentão e sal q.b.

 

Uma breve nota, apesar de chamar migas a esta receita, eu não utilizei o pão. 

Numa frigideira coloque o azeite, a banha e o deite de alho partido ao meio, deixe aquecer, sem queimar o alho.  Acrescente depois a alheira, sem a pele e desfeita com um garfo. A alheira vai largar alguma gordura, mas esta é necessária para envolver os outros ingredientes. Depois da alheira estar frita, acrescente as batatas esmagadas com um garfo e os grelos picados grosseiramente. Envolva tudo muitos bem e tempere, com sal e pimentão, a gosto. Deixar cozinhar até as migas se desprenderem da frigideira. Habitualmente, as migas enrolam-se como uma omeleta, mas estas empratei, utilizando um aro redondo.



publicado por maria mendonça às 11:15
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2012
Pudim de Sobras de Pão

"O desperdício alimentar é um crime contra os que passam mal", ouviu-se esta semana, pela voz do padre Manuel Morujão.

Num artigo do expresso pode ainda ler-se "sendo a alimentação um assunto de emergência nacional porque há franjas da nossa população que sabem que a palavra fome não está no dicionário a mais, mas é uma experiência viva que sentem, todo o desperdício é de alguma maneira um crime contra aqueles que estão a passar mal sobretudo nestes tempos de crise. É uma desonestidade que importa evitar", disse Manuel Morujão.

Estas afirmações surgem como  conclusão de um estudo nacional sobre desperdício alimentar, que indica que Portugal perde anualmente um milhão de toneladas de alimentos.

"Não é por má intenção que estas coisas acontecem. Acho que há inércia e falta de iniciativa para rentabilizar aquilo que sobra. O que sobra a alguém é o que falta a outras pessoas, que vivem com carências alimentares, por vezes graves", sublinhou Manuel Morujão.

 

 

Cá em casa, há anos que sempre se aproveitou todo o que sobra, reinventando as receitas para as refeições. Reconheço que nem sempre é fácil, e sei, que não é uma prática comum em todos os lares, ou pelo menos não era. Talvez estes tempos de mudança, tragam algo de bom, uma consciencialização sobre as necessidades dos outros e consequentemente, uma mudança de hábitos pessoais.

Enquadrada neste tema surge esta receita de uma sobremesa doce, tipo pudim, feita com sobras de pão.

3 a 4 pães duros
4 ovos
2 copos de leite
60g+1 colher de sopa de açúcar
manteiga q.b.
conhaque q.b.
passas q.b.
amêndoa q.b.
Corte o pão às fatias grossas e barre-as ligeiramente com manteiga. Unte um recipiente para ir ao forno e disponha as fatias de pão. Noutro recipiente, bata os ovos inteiros com o açúcar, acrescente depois o leite e o conhaque. Verta este preparado sobre as fatias de pão e deixe repousar cerca de um quarto de hora para que o pão fique embebido. Aqueça o forno a 180ºC. Na altura de colocar no forno, coloque em cima passas e amêndoa moída, e polvilhe com uma colher de açúcar. Deixe cozer cerca de 30min.
Pode ser servido quente ou norno, acompanhado de um chantilly, ou de uma compota.
Nota:
Eu utilizei conhaque mas pode ser outra bebida, rum, vinho do porto ou simplesmente essência de baunilha.
Em cima, utilizei passas, no final achei que ficaram um pouco queimadas, deixo a sugestão de não colocar. Podem ser substituídas por pedacinhos de chocolates, por exemplo.
A receita é bastante simples, mas pode-se tornar mais rica... entrecalar fatias de fruta com o pão, parece-se uma boa ideia.


publicado por maria mendonça às 11:00
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2008
Açorda de marisco

Em época de Quaresma pedem-nos jejum, para isso não se come carne e habitualmente come-se peixe. Para mim não é um  grande sacrifício porque adoro peixe.

Por isso, deixo uma sugestão de uma coisa diferente: Açorda de marisco. Uma maneira de usar  aqueles resto de pão, que por vezes sobram e que nunca queremos deitar fora. A maneira de fazer é igual a qualquer açorda. Para ter melhor sabor, cozo alguns camarões e uso a água para demolhar o pão, para o marisco uso uma daquelas saladas de marisco congeladas. No final é só polvilhar com salsa e servir... Para quem gosta, vale a pena experimentar.

 

 

 

 



publicado por maria mendonça às 19:21
link do post | comentar | favorito

posts recentes

Bruschetta com Tomate e ...

Migas de batatas com grel...

Pudim de Sobras de Pão

Açorda de marisco

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim