Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias.

Quarta-feira, 11 de Maio de 2011
Pérgula de rosas

Quem a viu, neste post, de 2008 e quem a vê agora... nem parece a mesma. A roseira cresceu rapidamente, tapa já todo o arco e até ele já nem suporta o peso da planta.

Dizia alguém no outro dia, que parecia um arco de casamento saído de um filme americano, eu gosto mais de pensar que é um arco como nos jardins ingleses. Debaixo dele é um cheirinho... e as rosas são uma maravilha.

 

Depois desta experiência, deixo alguns conselhos, escolham arcos em metal, a madeira perdeu a cor original e com o vento e a chuva já quase se partiu... parece-me que se tivesse sido de metal teria sido mais resistente. Se mesmo assim, decidirem por madeira, utilizem pés de metal para evitar a putrefacção da madeira no fundo, pois foi aí que esta se partiu e utilizem madeira tratada para garantir uma longa duração.

Relativamente à roseira, não vinha identificada quando a comprei. Depois de a observar melhor inclino-me para uma swan-lake, dá flores em cacho, começa em Maio e até ao final do Verão, levemente perfumada. Poderia também ser uma iceberg, mas pelo que já li, esta floresce mais tarde. Talvez alguém que passe por aqui possa ajudar, na sua identificação.  

Um outro pormenor, têm de existir duas roseiras, uma de cada lado, uma vez que a roseira trepadeira chegada ao topo não desce, isto é, não cresce para baixo...

 

 



publicado por maria mendonça às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

posts recentes

Pérgula de rosas

pesquisar
 
subscrever feeds
tags

todas as tags

arquivos
links
mais sobre mim